Perfil:
Joel Vicente De Sousa


Arquivos:

Amigos (0)::


ERA FELIZ E NÃO SABIA
23/04/2010 às 17:44

Que vontade eu tenho de crescer. Quando maior eu for. De minha infância não quero lembrar. Quando maior for minha força. Do meu tempo de fraqueza vingar. Quando namorar eu puder. Meu tempo perdido aproveitar. Enquanto este tempo não chegar. Na minha infância vou sonhar. Certo que um dia. Minha liberdade ter. Independência conquistar. Assim pensava eu. Quando ainda aqui não chegara. Quando no tempo de criança habitava. Da mais bela fase da vida. Ainda desfrutava. Sem saber que tal fase. Ao passar jamais voltaria. O levantar de madrugada. No radio programa sertanejo. Despertava os ainda sonolentos. Minha missão era recolher o gado. Botina nos pés. Calça Jens e camisa grossa. Para suportar o frio da manha e. A relva ainda molhada. O leite quentinho e cheio de espuma. Tomado a beira do curral. Era farta a mesa. Variada alimentação. Cada alimento era farto em sua estação. O milho cozido, assado e afogado. A pamonha, o coral e o angu. O queijo assado ao fogão de lenha. A comida feita na panela de ferro. Pão de queijo assado ao forno de barro. Tudo consumida ainda quentinho. Queijo fresco com doces variados. O sabor sem igual do frango caipira. A abundancia de frutas no pomar. A colheita do feijão. O cheiro do arroz em pendão. Como esquecer do piqui. Do articum e outras frutas do cerrado goiano. Lembrança do acalento de minha mãe. A proteção de meu pai. A companhia de meus irmãos. O amor de meus parentes. Assistir a noite cair. Na porta da fazenda. Deitado a grama. Contemplar o céu estrelado. O nascimento de cada fase da lua. Ter o corpo molhado pelo sereno. Ouvir o som de pequenos animais. O mugir do gado. Latido do cachorro. O cantar do galo. Ouvir historia de assombração contada pelos homens da fazenda. O som do riacho. O cantar da coruja. Hoje sou crescido. O tempo passa como relâmpago. Estudei, trabalhei e viajei. Hoje sou velho. Não aproveitei o tempo perdido. Porque tempo perdido não se recupera. O tempo que vivo hoje não pertence ao passado. Pertence ao hoje. Nem conquistei minha liberdade. Apenas descobri que não existe liberdade. Descobri que a vida não é gratuita. Tenho que pagar dês do nascimento até a morte. Oh que saudade. Do tempo que eu era feliz. E não sabia.

psicanalista.joel@hotmail.com



Comentários



Comentar post:

Nome/Apelido:


Email:


Comentário:



vanessa
28/04/2010 as 09:21

Dizem e eu acredito. Que a felicidade esta nas coisas simples da vida.