Perfil:
Joel Vicente De Sousa


Arquivos:

Amigos (0)::


DESABAFO
29/04/2010 às 21:12

É preciso evoluir e ter uma vida pautada no respeito e na ética. Comportamento de ser humano com outras pessoas. Respeito à pessoa humana. Eu tenho o direito de ser respeitado e o dever de respeitar, se procurar somente o meu direito haverá desequilíbrio na balança moral. É preciso rever o conceito de direito isolado do dever. Respeito ao idoso. O idoso deveria ser respeitado em todas as formas de viver. Respeitando a sua condição, a sua saúde, a sua dificuldade de locomoção, a sua experiência de vida. Respeito ao direito da criança. O direito da criança deve ser assegurado a todo custo, afinal criança é criança e não se discute. Mas é preciso impor limites as crianças, afinal criança é criança e precisa ser protegidas até delas mesmos. Há muitas crianças sendo abusada sexualmente por adultos, isto as autoridades tem feito um bom trabalho através de campanhas que alerta e previne o abuso sexual. Até ai tudo bem, mas não justifica que estas mesmas crianças fora de idade para prática sexual pratiquem sexo livre entre elas em nome das descobertas sexuais. Pergunto qual é a diferença em praticar a sexualidade entre menores e entre menor e adulto? Por ventura tudo não é sexo? Espero não estar sendo mal entendido, mas ao final de cada carnaval o numero de adolescentes grávidas é alarmante. Criança cuidando de outra criança, na maioria das vezes o efeito colateral deste ato resulta em super população de crianças em periferias com o mínimo de recurso para sua sobrevivência e educação e ainda na responsabilidade de avós por netos sem pai. Outras vezes estas crianças serão criadas em alfa natos à espera de adoção. É preciso repensar o direito da criança, buscando solução real para que faça cumprir este direito. Em minha opinião nossas meninas precisam ser educadas para ser mulheres, capazes de realizar planejamento familiar. Rever o conceito de educação sexual, e punir toda e qualquer programação ou propaganda que motive publicamente o sexo livre assim como acontece com o cigarro e bebida alcoólica. Rever a educação, em vez de só educar para vida, educar também para o empreendedorismo. Justificando o porque estudar uma matéria. Parar de valorizar pessoas que através da musica, teatro, filme e outras manifestações da arte valoriza a violência, a rebeldia, as drogas, tabacos, bebidas. Assim diria eu que o direito da criança estaria começando ser respeitado. Respeito ao portador de necessidade especial, seja qual for sua necessidade, calçadas próprias, banheiros adequados, socialização com os ditos normais. Oportunidade ampliada para profissionalizar, trabalhar e estudar. Respeito aos enfermos e doentes, triste é a situação do cidadão quando precisa do sistema publico de saúde, é preciso mais respeito com o ser humano, principalmente na hora da dor. É preciso cobrar com mais energia o cidadão quando ele opta por ser político. Para evitar a vergonha que eu sinto quando vejo quem votei ser pego roubando sem nenhum constrangimento de ser chamado de ladrão. Políticos que foram envolvidos em escândalos, dinheiro na meia, cueca, paletó. Tudo filmado, provas concretas. Muitos não foram presos, não foram punidos. Alguns pediram para sair do mandado para não perder o direito de recandidatar. Meu Deus. Esta conduta não é de um Pais democrático. A punição a um individuo que tem tal conduta não enfraquece a democracia e sim fortalece. O povo está clamando por moralização. Todo cidadão deve ter o direito de se defender e será inocente até que prove o contrário, mas nos casos citados a prova que os mesmos são culpados está estampada, não há duvida, já provou a culpa, resta agora a eles tentarem depois de presos provarem sua inocência. Lembro a quem estiver lendo este pensamento que estou apenas desabafando, não estou escrevendo um tratado jurídico. Se você quiser desabafar também se junte a nós e vamos clamar por um País moral. É hora de acabar com antiga frase que dizia “ele roubou, mas fez”. Não justifica em hipótese nenhuma alguém usar o poder para roubar aquilo que me pertence, pertence a minha família, pertence a você cidadão que come através do suor de sua face. O direito de ir e vir deve ser respeitado, a constituição diz que tenho tal direito. Já perdi as contas quantas vezes tive que ficar preso na estrada porque um seguimento da sociedade resolveu fechar uma estrada ou uma ponte. Defendo o direito democrático de manifestação, mas não consigo entender como um seguimento da sociedade pode tirar o direito de outros mil seguimentos de ir e vir. Entendo como poder paralelo quando um poder não governamental toma uma atitude que prejudique outros seguimentos. O direito a propriedade deveria ser resguardado, se tenho uma casa, um sitio ou fazenda foi porque comprei com meu dinheiro que trabalhei para tal, não justifica outra que não pagou tomar posse. Dizem muito sobre a pobreza e justificam aquilo que chamo de invasão ou roubo para tomar de um e dar a outro. O desrespeito para mim é uma “Coisa feia” se sou proprietário o governo e a sociedade deveria respeitar este fato. Não importa qual o tamanho de minha propriedade. Do contrário estipule para os novos proprietários uma quantidade x que posso adquirir e não tomar o que comprei com meu suor. Para a reforma agrária o certo é o governo comprar as propriedades e realizar os assentamentos e não permitir sem punição a invasão de propriedades legalmente registradas e produtivas. Antes de realizar os assentamentos técnicos separar para reservas serras, beira de rios e nascente. Para que o assentado não venha cometer crime ambiental. Prevenir é melhor do que remediar, orientar é melhor do que punir. O direito a vida deve ser dado a todos, mas acho que a quem de forma covarde tirar a vida de um ser humano não deveria ser tratada com regalia enquanto a família da vitima fica sem assistência, acho que ambas deveria ser tratados com atenção iguais. Diz o direito humano que recruzo tem família, a pergunta é o que morreu não tinha família? Não tinha esposo, esposa, pai, mãe, irmãos e filhos? Acho na minha pouca inteligência que os direitos humanos deveriam olhar com mais carinho para a família daqueles que foram vitimas. Não vi ainda nenhuma entrevista de telejornal que os direitos humanos foram até a casa da viúva para ver como ela está vivendo, se os filhos estão comendo ou estudando, tendo assistência psicológica pela perca do pai ou da mãe. Chamo atenção por ser testemunha de mui grande sofrimento de vitimas de violência e que ficaram totalmente desprotegidas da sociedade e do Estado. O cliente deveria ser respeitado pelo legista, banco, mercado, restaurante e outros naquilo que prometem. E quando não cumprem tem que recorrer a justiça perdendo tempo e dinheiro. Um exemplo, se você atrasa a conta de luz a empresa vem e corta, se você paga a conta depois de cortada a energia às vezes tem que esperar a boa vontade até quatro dias uteis. Se pagar a conta acabou o motivo do corte de fornecimento. Se eu fosse tratado de fato como cliente a religação seria imediata. Na maioria das vezes não somos tratados nem respeitados como cliente e sim como se a empresa estivesse fazendo um grande favor em nos atender. Sei com certeza que enquanto você está lendo estas linhas lhe vem a mente muitas outras razões para também desabafar. Faça isso e tenho certeza que você sentira bem melhor. Porem volto a dizer que o que escrevo é apenas um desabafo. Não mais. Por minha pouca inteligência e dificuldade de entendimento o que escrevo não deve ser levado a sério. Um forte abraço.

PSICANALISTA.JOEL@HOTMAIL.COM



Comentários



Comentar post:

Nome/Apelido:


Email:


Comentário:



Não foi encontrado nenhum comentário!